Um sistema de gerenciamento de banco de dados implica a criação e manutenção de bases de dados, elimina a necessidade de especificação de definição de dados, age como interface entre os programas de aplicação e as pastas de dados físicos e separa as visões visões lógica e de concepção dos dados.

Nossos sistemas trabalham com o que tem de mais moderno em acesso a banco de dados e desenvolvimento, em 3 camadas.

1526

Aplicação em 3 camadas

A Aplicação em 2 camadas é onde você tem o seu servidor de banco de dados e a sua aplicação interagindo com ele. Isso significa que as suas regras de negócio estão no seu bando de dados ou estão na sua aplicação, ou seja, se você migrar de bando de dados e a sua regra de negócio estiver presente neste, você terá que refazer todo o processo de regras de negócio no banco novo. Caso esteja na sua aplicação, deverá ser feito um novo programa com as novas regras de negócio.

A partir destas dificuldades surgiu a necessidade da Aplicação em 3 camadas. Com ela, é possível ao usuário ter uma camada com o banco de dados, uma camada com as regras de negócio e a terceira camada é a própria aplicação. Isso faz com que, se você migrar o bando de dados, você não precise refazer as regras de negócio, e o mesmo acontece para a sua aplicação.

1530

Firebird

Firebird é um banco de dados relacional que oferece recursos ANSI SQL-99 que roda em Linux, Windows, Mac OS, grandes sistemas operacionais e uma variedade de plataformas Unix. Ele oferece alta performance e uma linguagem poderosa para procedimentos e triggers. Firebird já é usado em sistemas de produção sob uma variedade de nomes diferentes desde 1981.

A Fundação Firebird SQL coordena a manutenção e desenvolvimento do Firebird, sendo que os códigos fonte são disponibilizados sob o CVS da SourceForge. O software é um projeto comercialmente independente de programadores C e C++, técnicos e analistas que vêm desenvolvendo-o a partir do código fonte de um sistema de gerenciamento lançado pela Inprise Corp – hoje conhecida como Borland Software Corp., a fabricante do Delphi.

Baseado no código do InterBase da Borland, quando da abertura de seu código na versão 6.0 (em 25 de Julho de 2000), alguns programadores em associação assumiram o projeto para identificar e corrigir inúmeros defeitos da versão original, surgindo aí o Firebird 1.0, que se tornou um banco com características próprias, obtendo uma aceitação imediata no círculo de programadores.

A versão mais recente e estável é a 2.5. Ela tem uma nova arquitetura chamada “SuperClassic”, que fará a ponte para a versão 3.0, que sairá em breve e oferecerá suporte total à SMP. O Firebird é gratuito em todos os sentidos: Não há limitações de uso, e seu suporte amplamente discutido em listas na Internet facilita enormemente a obtenção de ajuda técnica. O Firebird receberá também uma versão mobile para “Android”, o sistema operacional da Google para dispositivos móveis.

O produto é bastante seguro e confiável, suportando sistemas com centenas de usuários simultâneos e bases de dados com dezenas/centenas de gigabytes. Há suporte gratuito na Internet através de vários sites.

1513

Borland Database Engine (BDE)

O Borland Database Engine (BDE) é a ligação entre os bancos de dados e o software central de conectividade que está por trás do Borland Delphi, C++ Builder, IntraBuilder, Paradox para Windows e Visual dBASE para Windows.

O conjunto de drivers de bancos de dados incluídos permite o acesso consistente a fontes de dados padrão: Paradox, dBASE, FoxPro, Access e bancos de dados de texto. Podem ser adicionados drivers Microsoft ODBC, caso necessário, para o adaptador ODBC embutido ODBC. Opcionalmente o produto SQL Links da Borland fornece acesso a uma gama de sistemas de gestão de dados (SGBD), incluindo Informix, DB2, InterBase, Oracle e Sybase.

O BDE é orientado a objetos no projeto. Em tempo de execução, os desenvolvedores de aplicativos interagem com o BDE através da criação de vários objetos BDE. Esses objetos de tempo de execução são então usados para manipular entidades de banco de dados como tabelas e consultas. A interface de programação de aplicação (API) do BDE fornece acesso otimizado direto em C e C++ para o motor de banco de dados, bem como drivers embutidos do BDE para dBASE, Paradox, FoxPro, Access e bancos de dados de texto.

Junto ao BDE está o Local SQL da Borland, um subconjunto do ANSI-92 SQL melhorado para suportar as convenções de nomenclatura do Paradox e do dBASE (padrão) para tabelas e campos (chamados de “colunas” em SQL). O Local SQL permite que o SQL seja usado para consultar tabelas “locais” padrões de banco de dados que não residem em um servidor de banco de dados, bem como servidores DBMS “remotos”. O Local SQL é também essencial para fazer consultas multi-tabelas tanto em tabelas locais padrões como em servidores remotos SQL.

Preview do sistema

Clique na imagem para ampliá-la

Tutorial

suporte-33ae78c3877e0abee13f7eb2f876ff83

TeamViewer Multsoft Skype